Uma crítica injusta

Olá, querido artista e artesão!

Uma crítica injusta é, muitas vezes, um elogio disfarçado.

“Ninguém chuta um cão morto” – essa frase não fui eu quem falou, mas eu passei a entender o sentido dela quando comecei a postar, fazer vídeos e escrever conteúdos sobre como viver de arte. Muitas vezes, quando somos criticados, a gente fica chateado por estarmos trabalhando e focando num propósito e pessoas que não te conhecem, não conhecem tua história de vida, não conhecem teus bastidores, vem e te atacam.

Eu li uma história interessante sobre isso, que me fez entender como eu poderia lidar com as críticas que recebo. A história é justamente sobre o Rei Eduardo VIII, que quando tinha 14 anos, era estudante da Academia Naval, e foi encontrado por um dos oficiais chorando escondido, quando o oficial perguntou por que ele estava chorando. Ele respondeu que seus colegas, cadetes navais, davam chutes e pontapés nele. O diretor do colégio, chamou os rapazes e perguntou porque que haviam escolhido o príncipe para chutar e dar pontapés. A resposta foi muito esclarecedora: eles confessaram que chutavam o príncipe pois quando eles fossem comandantes da Marinha, gostariam de contar para todo mundo que tinham dado um pontapé no Rei!

Isso me fez entender que quando a gente é atacado ou criticado, isso é feito muitas vezes porque dá a quem está te criticando um sentimento de importância.
Essa pessoa que está te criticando acaba, de certa forma “aparecendo” para o mundo. E ela também chama a atenção de você, que é o que no fundo ela deseja.
Então, artista, se você neste momento está sendo alvo de críticas, saiba que você tem pessoas que te admiram e querem chamar a tua atenção e gostariam de ser quem você é, ter seu talento, seu dom ou seu entusiasmo. Portanto, artista, continue firme no seu propósito!
Torço por você, artista! Estamos juntos nessa jornada.
Com amor e muita admiração por você,
Zilá
Anúncios